Fé e chocolate movimentam turismo na Semana Santa

Até sábado, 31 de março, o Teatro de Fazenda Nova, em Brejo da Madre de Deus, no Agreste de Pernambuco, deverá atrair até 5 mil pessoas por espetáculo nas duas apresentações diárias. O visitante pode conhecer os bastidores do maior teatro ao ar livre do mundo, com cenários que lembram a cidade de Jerusalém da época de Jesus Cristo. A cidade cenográfica com sua muralha de pedras e 70 torres movimenta a economia local. A encenação da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém gera 1.500 empregos durante a Páscoa e dinamiza o turismo de Pernambucano.

No entorno de Fazenda Nova, no meio da Caatinga, fica o Parque das Esculturas, outro atrativo regional com dezenas de esculturas gigantes de granito que lembram o cotidiano do interior do Nordeste. Outros destinos pernambucanos oferecem serviços e atrativos diferenciados aos viajantes do turismo motivado pela fé como Caruaru já famosa pela freira livre, a culinária sertaneja e o artesanato popular em peças de couro e barro. Em Caruaru, Gravatá, Recife e até Porto de Galinhas, a movimentação turística da Semana Santa só é superada pelo carnaval e os festejos juninos. São esperados 250 mil turistas do Brasil e do mundo e uma injeção de R$ 200 milhões na economia local.

Ouro Preto/MG

Ouro Preto/MG

As celebrações religiosas também atraem milhares de turistas nas demais regiões do país. Nas cidades históricas de Minas Gerais, os visitantes revivem os rituais católicos tradicionais da Paixão de Cristo e aproveitam para conhecer o esplendor das igrejas barrocas de Tiradentes, Mariana, São João Del Rei, Ouro Preto, Diamantina e Congonhas. As três últimas ainda ostentam o título de patrimônio cultural da humanidade concedido pela Unesco pela riqueza da arquitetura colonial. Aos atrativos religiosos e barrocos juntam-se a paisagem natural da região e a culinária mineira. A combinação faz do passeio uma viagem no tempo inesquecível.

No Centro-Oeste, a Cidade de Goiás também é patrimônio cultural da Unesco. O título já é um motivo para se conhecer a antiga capital de Goiás com seus monumentos que remontam ao ciclo do ouro e a ocupação do “coração” do Brasil pelos bandeirantes. A Procissão do Fogaréu, que relembra a prisão e morte de Cristo é acompanhada pelos turistas. O destino une religião, tradição e história ao longo dos séculos.  A Cidade de Goiás é repleta de atrativos naturais e de aventura como o Rio Vermelho, a Serra Dourada e cachoeiras, além da comida caipira. Em Goiás também fica a Casa de Cora, museu dedicado a vida e obra da poetisa Cora Coralina.

chocofest

O chocolate também movimenta as viagens de turismo nesta Semana Santa como o Festival do Chocolate, em Petrópolis (RJ) e o Chocofest de Nova Petrópolis (RS). O principal ingrediente dos Ovos de Páscoa, símbolo de renovação, é um dos motivos que levam milhares de turistas para a Serra Gaúcha. A região está entre os destinos mais visitados. Além da beleza da região com muitos atrativos naturais, o destino é rico em história e cultura da colonização europeia e sua influência na arquitetura, gastronomia, artesanato e produtos típicos da colônia. O vinho do Vale dos Vinhedos já faz parte do roteiro e combina com todos os momentos da viagem, inclusive com chocolate. Campos do Jordão (SP) é outro destino que se destaca pelos chocolates produzidos nas fábricas artesanais da Serra da Mantiqueira.

As cidades catarinenses de Pomerode e Blumenau contam com programação especial durante a Páscoa. Além de conhecer a arquitetura enxaimel e as belezas naturais do Vale Europeu, o turista se familiariza com as tradições da Páscoa. A Osterbaum, de Pomerode, é uma árvore feita com milhares de cascas de ovos naturais decorados. O período lembra o Natal e é marcado por apresentações musicais e folclóricas. Na vizinha Blumenau, a Osterdorf ou Vila de Páscoa resgata as tradições pascais, desde oficinas de pintura facial e de casquinhas de ovos até a confecção de orelhinhas do Coelho da Páscoa e a montagem da Osterbaum com a presença de coelhos vivos.